4 dicas para você não perder clientes na primeira consulta.

4 dicas para você não perder clientes na primeira consulta.

Muitos advogados têm dúvidas sobre como devem se portar quando estão recebendo um cliente pela primeira vez. Afinal, este é um momento determinante para a conquista – OU NÃO – de um novo caso. 

Alguns profissionais acreditam que devem demonstrar toda a sua experiência e domínio técnico da área de atuação já na primeira consulta. Contudo, essa estratégia pode ser o caminho errado. Advinha só: muitas vezes, impressionados por essa vasta experiência demonstrada no primeiro encontro, os clientes acabam optando por outro escritório julgando que não terão como pagar pelos seus serviços.

Além disso, questões como postura, tom de voz e ambiente da consulta, também podem intimidar e acabar afastando clientes. Então, se você quer saber como não perder clientes na primeira consulta, confira as 4 dicas desse artigo.

1. Adapte-se ao cliente.

Evite um erro recorrente entre advogados: não se preparar para uma primeira tratativa com o cliente.

Antes do atendimento inicial, é fundamental se cercar do máximo de informações possíveis sobre o cliente para conseguir causar uma boa primeira impressão. Dessa forma, se o cliente for uma empresa, por exemplo, você pode pesquisar a área de atuação da organização, as dificuldades apontadas em um eventual primeiro contato telefônico, além de possíveis saídas para solucionar os problemas relatados.

O importante é se antecipar as demandas e apresentar uma postura proativa, mostrando que você está realmente empenhado em atender e tranquilizar o cliente. Essa abordagem facilita a criação de um vínculo junto ao cliente, sugere empatia e ajuda você a cobrar um honorário justo.

2. Seja profissional.

É importante não confundir a empatia que se busca estabelecer com uma relação informal. Mesmo que você tenha estudado o cliente e saiba como criar um ambiente receptivo, não deixe o clima de impessoalidade prevalecer na reunião.

O ideal é manter uma postura estritamente profissional, com toques de pessoalidade. Ou seja: vista-se de acordo com a ocasião; seja sempre pontual e, no caso de qualquer imprevisto, justifique-se ao cliente; e, por fim, demonstre interesse pelo assunto tratado. Ah, e sempre que possível trate o cliente pelo nome, pois isso gera intimidade sem apelar para a impessoalidade.

Além disso, deixe o cliente falar livremente e escute com atenção enquanto toma notas. Assim, você demonstra estar interessado no problema dele e em como ajudá-lo. Isso é mais importante do que falar das suas habilidades e experiências.

Outro ponto importante aqui é o ambiente da primeira consulta. Um local informal demais transmite amadorismo, enquanto um muito formal pode intimidar o cliente. O ideal é que você tenha um escritório acolhedor e confortável para deixar os clientes à vontade. 

3. Seja transparente e objetivo.

Muitas vezes, as pessoas procuram advogados esperando encontrar imediatamente a solução para um problema que pode não ser solucionado assim tão facilmente. 

Nesses casos, para manter o cliente, apresente as possíveis variáveis e complicações implicadas no caso de forma simples e realista. Explique bem ao cliente quais as possibilidades de conseguir uma decisão favorável, fale sobre qual metodologia e estratégia você adotaria, e reforce a importância de uma assistência jurídica especializada.

Se o cliente perceber que você está preocupado com o problema dele, está sendo franco quanto à possibilidade de resolução e que você está disposto a ajudá-lo, as chances de você conseguir o caso são grandes.

Do contrário, se o problema do cliente estiver além da sua capacidade de atuação, ou uma decisão favorável for impossível, o melhor a fazer é ser transparente. Rejeite o caso ou indique um profissional para atendê-lo a contento. Afinal, um dano à sua imagem profissional não será compensado pelos honorários do caso.

4. Fique em contato.

Lembre-se: assim como em qualquer segmento do mercado, os clientes buscam atenção, confiança e a efetividade do serviço contratado.

Após o fim da primeira consulta, caso você estabeleça um acordo com o cliente, mantenha contatos regulares com ele, seja por e-mail ou telefone, para registrar os pontos abordados, possíveis estratégias de atuação, documentação necessária etc.

O contato regular é fundamental para, além de criar confiança entre advogado e cliente, manter a estratégia de atuação alinhada e sólida.

É isso, construir uma boa relação com os seus clientes requer muita dedicação, mas a boa notícia é que os advogados não precisam mais de complexas planilhas para manter um cadastro atualizado com os históricos dos clientes.

Sim, os advogados hoje têm à sua disposição recursos para otimizar o processo de cadastramento e atualização. Agora que você já sabe por onde começar chegou a hora de alinhar o seu atendimento ao cliente às suas rotinas jurídicas.

O primeiro passo para adotar as boas práticas de gestão do Direito é contar com um bom software jurídico no seu escritório. O Integra, ferramenta desenvolvida pelo PROMAD em 2008, é líder no segmento e foi pensado para aprimorar as suas rotinas.

Atualmente, mais de 80 mil advogados em todo o Brasil utilizam o software. Pensado para cuidar da gestão de escritórios jurídicos, o Integra te ajuda, por exemplo, com o seu cadastro de clientes, agenda, fluxo de caixa, captura de intimações de sistemas eletrônicos, entre outras funcionalidades.

Acesse www.promad.adv.br e conheça melhor o Integra, o software jurídico do advogado brasileiro.

Deixe uma resposta