5 erros que você não pode cometer nas redes sociais

redes sociais

Talvez você não saiba, porém, de acordo com os dados de uma pesquisa, o Brasil está entre os países que mais acessam as redes sociais. Na prática, isso significa que para o mercado as redes se transformaram em uma poderosa ferramenta. E, na advocacia, isso não é diferente!

Atualmente, as redes sociais formam excelentes canais para conectar advogados, clientes e parceiros. Afinal, com as redes o advogado pode criar uma boa imagem do seu escritório e do seu trabalho, além de torná-lo mais atrativo para o seu público.

Para tirar o máximo proveito das redes, é preciso evitar alguns erros bastante comuns. Saiba mais!

1. Ter diversos canais em redes sociais diferentes

Advogados que não possuem muita experiência com marketing jurídico na era digital acabam criando diversos canais em redes sociais diferentes. No entanto, esse é um erro muito comum que acaba comprometendo os resultados. Mais do que criar uma fanpage no Facebook, uma página no LinkedIn, uma conta no Instagram ou no Twitter, o advogado precisa fazer um estudo para descobrir onde estão seus principais parceiros e potenciais clientes. Em outras palavras, ele precisa saber quais são as redes que mais interessam ao seu público.

Embora criar um canal em uma rede social não demande muito trabalho, alimentar esses canais com um bom conteúdo requer um bom esforço. Por isso, seja estratégico, e antes de sair criando mil redes, escolha aquelas em que seu público está e aquelas que você consegue postar com frequência.

2. Não ter um planejamento do conteúdo que será publicado

Além de ser estratégico com a escolha dos canais, o advogado precisa se planejar com relação ao conteúdo que vai postar. É fundamental usar as redes sociais como uma forma de atrair tráfego para o seu site e, consequentemente, clientes. Assim, busque criar conteúdos que interessem e despertem a atenção do seu público. Através disso, você conseguirá não apenas chamar a atenção como também levar o seu potencial cliente a conhecer um pouco mais sobre você e o seu escritório.

3. Não responder seguidores

Além de criar um conteúdo de qualidade e que desperte o interesse do seu público, é essencial que o advogado invista na interação com seus seguidores. Até porque, eles podem ser seus clientes no futuro. Um dos erros bastante cometidos por escritórios e até por outros negócios que usam as redes sociais é justamente não responder quem faz perguntas ou comentários. Isso faz com que potenciais clientes sejam desprezados e, naturalmente, quem não recebe a devida atenção, acaba nunca mais voltando.

Se você não tem tempo para gerenciar suas redes sociais, considere contratar um profissional especialmente para isso. É essencial criar um relacionamento positivo para gerar confiança e curiosidade em um potencial cliente. Cuide de responder seus seguidores!

4. Expor casos e clientes

É grande a tentação de ganhar uma grande causa e ao mesmo tempo ter que ficar calado. No entanto, expor um caso e consequentemente um cliente, pode custar caro para a reputação do escritório. Procure sempre agir com a máxima descrição e crie apenas conteúdos que informam e interessam ao seu cliente. Nada de contar histórias, casos e problemas de clientes que já receberam o seu suporte. É essencial manter a máxima discrição.

5. Não ficar atento às restrições do Código de Ética

Tanto o Provimento 94/00 da OAB quanto o Código de Ética são claros ao determinarem que a publicidade na advocacia é permitida, desde que o conteúdo veiculado através dela seja meramente informativo. O advogado, portanto, pode investir em estratégias de mídias sociais. No entanto, o conteúdo das postagens deve ser meramente informativo e não comercial.  Para elaborar postagens que efetivamente engajam e ao mesmo tempo sejam úteis ao seu público.

Se você pretende usar as redes sociais para fazer bons negócios, considere também contratar um profissional especializado. Na medida em que os algoritmos estão evoluindo, as redes sociais estão cada vez demandando mais profissionalismo.

Sem dúvida as redes representam uma ferramenta poderosa capaz de gerar autoridade e atrair clientes para o seu escritório. No entanto, seja cauteloso tanto no quesito quantidade de canais, quanto na qualidade do conteúdo.

 

Você usa as redes sociais a favor do seu escritório? Confira também como fazer marketing jurídico sem ferir o Código de Ética da OAB. Clique aqui e confira!