8 dicas para você empreender com eficiência no Direito.

8 dicas para você empreender com eficiência no Direito.

A advocacia é uma das profissões mais tradicionais e antigas que existem.

Mas, mesmo que você seja um excelente advogado, abrir um escritório de advocacia pode não ser uma tarefa muito fácil e, muitas vezes, a faculdade não te ensina os preceitos básicos da administração de empresas.

Por isso, preparamos esse artigo com 8 dicas para te ajudar a consolidar o seu escritório como referência no mercado. Boa leitura.

1. Estude bem o seu mercado e a concorrência.

Antes mesmo de planejar o seu escritório de advocacia, pense a longo prazo e defina bem o ramo onde pretende atuar.

Leve em consideração as ofertas e demandas de um escritório de advocacia. Assim como qualquer prestador de serviço, os preços e os ganhos do advogado serão determinados pela demanda do escritório.

Quando a demanda estiver maior, o preço também vai subir, caso não ocorra alteração na oferta dos serviços. Por exemplo: vamos supor que você é um advogado trabalhista e atende determinado segmento onde o número de demissões cresceu. Isso pode provocar um aumento imediato na procura pelos seus serviços advocatícios.

Portanto, fique atento ao mercado para se manter em equilíbrio com as demandas e oportunidades. E, principalmente, com as áreas do Direito em franca expansão.

2. Defina bem a sua área de atuação.

Na hora de abrir um escritório de advocacia considere os seguintes pontos focais:

– Região geográfica: preocupe-se em escolher um local que ofereça alta demanda de serviços. Invista em uma boa localização para o seu escritório de advocacia. Se for alugar o ponto, faça contratos mais flexíveis e avalie com o passar dos meses se o lugar é realmente bem localizado.

– Foco na especialização: se o foco for a sua especialização, o local do escritório será apenas um detalhe. Isso porque, teoricamente, você não será procurado porque está mais perto do seu cliente, mas sim pelo seu conhecimento de causa.

Nesse caso, você poderá reduzir o investimento na localização, mas não deve deixar de investir em conhecimento. Participe de seminários, cursos de especialização e eventos relacionados à sua área, por exemplo.

3. Invista na sua marca pessoal e apresente-se ao mercado.

Quando um cliente procura um escritório de advocacia na internet, ele também está buscando informações sobre os advogados que lá atuam.

Por isso, qualquer estratégia bem-sucedida de marketing jurídico parte da construção de uma assinatura visual. Infelizmente, muitos advogados não enxergam a sua marca como um ativo. Para estes profissionais, tanto a criação de uma marca quanto as estratégias de branding para divulgá-la, ainda são práticas distantes.

Dito isso, é importante salientar que você deve investir na sua marca pessoal. Quando você for usar as redes sociais e blogs, use-as sempre com uma identidade visual marcante e bem construída. Isso lhe garantirá diferencial competitivo, e o usuário terá mais confiança nos seus serviços.

4. Decida-se logo entre a carreira solo ou em sociedade.

“Se quer ir rápido, vá sozinho. Se quiser ir longe, vá acompanhado” (Provérbio Africano).

O autoconhecimento é fundamental para você avaliar os prós e os contras do modelo de carreira mais adequado ao seu perfil e expectativas. Uma sociedade entre advogados funciona como um casamento e, quem opta por este caminho profissional, deve pensar bem antes de escolher um sócio.

Um erro muito comum cometido por advogados é buscar sócios com perfis/personalidades muito semelhantes ao seu. Porém, as sociedades de sucesso mostram que, quanto mais complementares forem as habilidades dos sócios, maiores as chances de a sociedade dar certo.

A dica de ouro para quem quer trabalhar em sociedade é redigir um bom contrato social, deixando claras especificidades, responsabilidades e atividades de cada sócio. Atuar sozinho ou em sociedade pode significar mais chances de prosperar no mercado ou mais chances de falhar, dependendo do perfil do advogado.

Portanto, o ideal é se conhecer, experimentar e ponderar os riscos. E lembre-se sempre: dedicação e estratégia são essenciais.

5. Siga as regras da OAB na hora de anunciar os seus serviços.

As ações de marketing para o meio jurídico não são ações comuns. Isso porque o Código de Ética da OAB estipula limites e regras para a contratação do marketing jurídico e a divulgação dos serviços prestados por advogados.

De forma geral, as condutas previstas no Código de Ética da OAB garantem a credibilidade e a dignidade da advocacia em se tratando dos direitos e deveres do advogado. Sendo assim, a publicidade em veículos de massa (TV, cinema, rádio e até outdoors) é expressamente proibida pelo Código de Ética.

Colocar imagens e publicidade em muros, paredes ou espaços públicos também não é uma conduta permitida. O advogado pode incluir letreiros e sinais de indicação na porta do seu escritório, obviamente. Desde que não haja conteúdo publicitário, mas apenas indicativo.

Ações de marketing jurídico podem ser realizadas tanto no meio online quanto off-line. Entretanto, todo tipo de conteúdo divulgado na internet deve ter caráter meramente informativo.

Além disso, o advogado deve ter o cuidado de não promover os seus serviços juntamente com outros que não tenham relação direta com a área jurídica. A compra de qualquer tipo de espaço na internet é expressamente vedada pelo Código de Ética (artigo 44, § 2º). Anúncios patrocinados e campanhas em buscadores devem ser avaliados com cuidado por escritórios e advogados.

O Código de Ética veda a divulgação de preços como forma de evitar a competição por valores. Quaisquer informações acerca de valores de honorários ou preços de serviços devem ser repassadas ao cliente de forma pessoal ou sob consulta.

6. Prospecte novos clientes com ética e eficiência.

Leve em conta todas as determinações da OAB e prospecte novos clientes sem burlar nenhum código de ética. Lembre-se também de estreitar o seu relacionamento com os seus antigos clientes para fomentar a indicação do seu escritório.

Outra dica importante: procure entender o seu cliente e aquilo que ele espera dos seus serviços jurídicos. Somente assim você será capaz de entregar aquilo que ele deseja e ele passará a valorizar o seu trabalho.

Se você fosse a um escritório de advocacia hoje, o que você esperaria do seu advogado? Como deveria ser o atendimento? De quanto em quanto tempo você esperaria ouvir um posicionamento sobre o seu processo ou sobre o seu caso?

Além do atendimento pessoal, o advogado deve demonstrar ao cliente que está dando a devida atenção ao seu caso. E, uma boa dica para fazer isso é otimizar parte do atendimento com um software jurídico. Dito isso, fica aqui mais uma dica de ouro: não centralize o atendimento nos sócios.

Muitos escritórios centralizam o atendimento dos clientes nos sócios. No entanto, quem conhece o caso e está mais capacitado para responder as dúvidas do cliente é o advogado que está à frente do caso ou do processo. Quando o cliente é atendido por alguém que não conhece o seu caso, cria-se uma sensação de insegurança que é extremamente prejudicial para o relacionamento.

Além disso, focar o atendimento de clientes nos sócios faz com que eles fiquem sobrecarregados com o passar do tempo. Na medida em que a carteira de clientes do escritório cresce, fica quase impossível dar atenção a todos de forma adequada.

7. Esteja sempre atento às finanças.

Como em qualquer empresa, o sucesso nos escritórios de advocacia exige gestão e atenção ao mercado. Mantenha um controle rigoroso dos seus custos processuais e administre com zelo os cancelamentos de contrato.

Para precificar a sua hora valor, coloque na ponta do lápis todos os gastos fixos que você possui para atender os clientes. Telefone, internet, aluguel do espaço, equipamentos, material didático, estagiários etc. Todas essas despesas devem compor o preço final dos seus serviços e servem de parâmetro para que você saiba quanto cobrar minimamente.

Além disso, não deixe de acompanhar todos os seus indicadores. Tempo dispendido com os casos, fluxo de caixa, honorários pagos e atrasados, gastos com insumos para o escritório etc. Se o escritório tiver sócios, mantenha planilhas individuais com custos, receitas e investimentos de cada sócio.

Outra estratégia para economizar no início da carreira é alugar um escritório compartilhado com outro colega. É possível afirmar que o advogado necessita basicamente de um espaço para fazer reuniões com seus clientes, certo? Então boa parte do trabalho pode ser feita home office, o que também representa uma boa redução nos custos fixos.

8. Implante uma metodologia no escritório.

Excelência se constrói com planejamento. Por isso, esteja consciente e acompanhe sempre que puder todas as etapas do trabalho.

Com planejamento, o advogado também consegue definir o que é prioritário. Neste sentido, saber quais tarefas demandarão mais e menos tempo é essencial.

Esteja consciente da quantidade de tempo consumida para fazer as suas tarefas e de quanto esse tempo custa de fato. Reconhecer as limitações do seu dia e do seu tempo é um ótimo exercício. É importante que você aprenda também a delegar tarefas, uma das principais dificuldades de muitos advogados.

Definir quais são as atividades de acordo com o conhecimento de cada advogado da equipe pode ser um grande desafio. Essa prática exige um certo desapego e visão de futuro. Tenha consciência das atividades que realmente precisam do seu olhar. Exemplos: elaboração de peças jurídicas, reuniões etc.

Outras tarefas como cópias, pesquisa de jurisprudência e de doutrina e controle de andamentos, podem ser executadas por terceiros. Portanto, lembre-se: ter uma metodologia para a execução de tarefas é a melhor forma de evitar o gasto de energia desnecessário e a perda de tempo que consome tantos profissionais.

Gostou das dicas? Bom, agora que você já sabe por onde começar, saiba que existem recursos tecnológicos para te ajudar a encarar o desafio de empreender no mercado da advocacia.

Portanto, a primeira ação a ser tomada é contar com um bom software jurídico para te ajudar com o seu escritório. O Integra, ferramenta desenvolvida pelo PROMAD em 2008, é líder no segmento e foi pensado para modernizar o Direito e os escritórios de advocacia.

Atualmente, mais de 80 mil advogados em todo o Brasil utilizam o software. Pensado para cuidar da gestão de escritórios jurídicos, o Integra te ajuda, por exemplo, com a agenda, o fluxo de caixa, captura de intimações de sistemas eletrônicos entre outras funcionalidades.

Acesse www.promad.adv.br e conheça melhor o Integra, o software jurídico do advogado brasileiro.

Deixe uma resposta