Marketing tradicional x marketing jurídico

Marketing tradicional x marketing jurídico

Você sabe a diferença entre marketing tradicional e marketing jurídico? O mundo está passando por transformações e as empresas precisam acompanhar as tendências de mercado.

Se o seu escritório ainda não aplica estratégias de marketing, ainda está em tempo para se atualizar. Nesse artigo vamos explicar a diferença entre marketing tradicional e marketing jurídico, mostrando a importância desse último para o seu negócio.

O que é marketing tradicional

O marketing tradicional está presente no dia a dia de milhares de pessoas. Ele é representado pelas estratégias convencionais adotadas pelas marcas para atingir seus clientes e vender produtos e serviços.

Se enquadram nessa categoria os anúncios veiculados em televisão, rádio, jornais impressos, cartazes, panfletos e similares. Ou seja, o marketing tradicional é o marketing offline, físico e concreto.

Essa forma de marketing continua forte nos dias atuais, tendo em vista a grande parcela populacional que consome conteúdo televisivo. E, por mais que muitos possam não acreditar, o número de pessoas que assinam jornais impressos continua alto.

No entanto, o marketing tradicional já não é suficiente para garantir a presença de uma marca no mercado. Existem outros canais, como a internet, nos quais o marketing tradicional não consegue penetrar.

A tecnologia fez surgir uma nova categoria de marketing, o marketing digital. Ele é muito mais dinâmico, personalizável, menos oneroso e democrático. Toda e qualquer empresa pode investir em publicidade online.

O que é marketing jurídico

O marketing jurídico é formado por um conjunto de estratégias votadas para a promoção de uma empresa ou escritório jurídico. É um método pelo qual um escritório de advocacia consegue alcançar pessoas que podem se tornar clientes em potencial.

Diferente do marketing tradicional, o marketing jurídico segue uma série de regras específicas. Os profissionais que atuam no direito devem seguir padrões, estabelecidos em regulamentos, como é o caso do Código de Ética da OAB.

Logo, as campanhas de marketing devem estar pautadas em princípios. Nem tudo pode ser veiculado por um advogado ou escritório. Dessa forma, o marketing deve ser planejado com responsabilidade e diligência.

Geralmente o marketing jurídico é personalizado e adaptado de acordo com os interesses do profissional ou empresa.

Um escritório especializado em questões de família, por exemplo, deve implementar estratégias direcionadas para pessoas que enfrentam problemas familiares. A segmentação é uma das partes essenciais dentro do marketing jurídico.

Mas o marketing jurídico não se resume às campanhas publicitárias. Existem outras práticas, como o relacionamento com o cliente, relações públicas, networking, participação em eventos e outras, que contribuem para a publicidade do negócio.

O que está permitido no marketing jurídico

Ao contrário do que muitos imaginam, a OAB não impede o advogado de fazer publicidade. Existem, no entanto, regras e parâmetros que devem ser respeitados. Dessa forma, o marketing jurídico deve seguir algumas regrinhas.

Por exemplo, é possível veicular anúncio contendo nomes e registro na OAB dos advogados membros de uma sociedade de advogados, número de registro da sociedade de advogados, endereço eletrônico e horário de atendimento.

Além disso, o advogado ou escritório pode manter uma página web, bem como criar e veicular anúncios na internet. Esses são alguns exemplos de estratégias que podem ser implementadas com segurança, para atrair clientes e gerar receita.

Como implementar o marketing em seu escritório

Agora que você já sabe a diferença entre marketing tradicional e marketing jurídico, está na hora de descobrir como implementar ao seu negócio. Afinal de contas, como é possível aplicar estratégias de marketing a um empreendimento jurídico?

Tudo começa pela escolha das ferramentas corretas. Se você deseja atingir grandes resultados em seu escritório ou empresa jurídica, é fundamental começar com responsabilidade.

Poderá começar estudando sua persona. Ou seja, as características do seu cliente ideal. Através dessa análise, será possível traçar estratégias voltadas para a atração de novos clientes em potencial. Tudo isso sem violar as regras do Código de Ética da OAB.

Como vimos, o marketing jurídico é um dos grandes aliados dos advogados e empresas jurídicas. Ele é capaz de melhorar o desempenho do negócio, ajudar na captação de clientes, melhorar a imagem do escritório e muito mais.