Por que construir um plano de negócios para o escritório de advocacia?

Criar um plano de negócios para o escritório de advocacia é algo estritamente necessário. Afinal de contas, o escritório precisa ser encarado como uma empresa, o que demanda esse nível de planejamento que auxiliará você e os demais sócios a enxergarem qual o espaço de seu negócio jurídico no mercado.

O planejamento estratégico também contribui para a implementação de ações melhor coordenadas em meio às rotinas jurídicas. Tenha em vista que o modus operandi de um escritório que atende exclusivamente empresas será muito diferente daquele que lida prioritariamente com pessoa física. Há também diferenças importantes entre ramos da advocacia.

No post de hoje, vamos apresentar em detalhes a importância de contar com um plano de negócios para o escritório de advocacia. Além disso, vamos dar algumas dicas sobre como começar o seu planejamento. Confia!

Posicionamento de seu escritório no mercado

Para qualquer negócio é muito importante compreender qual o seu papel no mercado onde atua. No caso de um escritório de advocacia, é preciso fazer um leitura de cenário e avaliar qual seria um público preferencial para prospectar e quais são os riscos e oportunidades ligados a esse segmento.

Nesse tipo de avaliação, é preciso compatibilizar a especialização dos advogados do escritório às suas pretensões no mercado. Isto é, é preciso buscar absorver demandas as quais se tenha condições de dar encaminhamento. Embora pareça algo um tanto óbvio, muitos escritórios, na ânsia de captar novo clientes, se apresentam como opção para lidar com todo tipo de caso e, ao final, não conseguem atender às expectativas do contratante.

Conformação da estrutura do negócio

Outra questão da maior relevância no âmbito plano de negócios para um escritório de advocacia é a conformação da estrutura do negócio. Nesse sentido, esse documento deve balizar questões como:

  • missão da empresa – razão de existir da empresa, com foco em seus valores e princípios que darão direção a seus objetivos;

  • método de distribuição de lucros – como, quando e em qual proporção os lucros serão distribuídos entre os sócios. É muito importante criar um entendimento claro sobre essa questão para evitar conflito entre os advogados;

  • características do negócio – quais serviços serão prestados e sob quais perspectivas. Quanto maior o detalhamento deste tópico, melhores as chances de o escritório contar com processos de trabalho bem desenhados;

  • capital social – a composição do capital social da empresa, com especificação de bens móveis, imóveis e participação de cada sócio em cada item.

 Pequeno roteiro para começar a pensar seu plano de negócios

Tomando por base tudo que já foi explicitado até aqui sobre o a importância de um plano de negócios para o escritório de advocacia, podemos estruturar um pequeno roteiro para criação desse documento. Vale salientar que existe mais de um tipo de plano de negócios e o que vamos apresentar são apenas alguns apontamentos que podem auxiliar você e seus sócios na estruturação desse documento. Vejamos, então, algumas perguntas que merecem ser respondidas no âmbito de um plano de negócios:

  1. Qual a missão do escritório?

  2. Quais os valores do escritório?

  3. Quais as características do serviço?

  4. Qual o capital social da empresa?

  5. Qual a precificação a ser utilizada?

  6. Onde os serviços serão prestados?

  7. Quais serão as ações de marketing jurídico?

  8. Que é o público-alvo do escritório?

  9. Quem são os concorrentes diretos do escritório?

  10. Quais os riscos e oportunidades de operar nesse mercado?

E aí, gostou do artigo de hoje sobre a importância de um plano de negócios para o escritório de advocacia? Se sim, aproveite para conferir mais este artigo de nosso blog que trata sobre empreendedorismo jurídico.