Tudo o que você precisa saber sobre registro de marca para advogados

Qualquer estratégia bem-sucedida de marketing jurídico pressupõe a construção e o registro de marca. Infelizmente, muitos advogados não enxergam a marca na advocacia como um ativo. Para estes profissionais, tanto a construção visual de uma marca quanto estratégia de branding ainda são coisas distantes da realidade do seu escritório.

Embora tenham conhecimento da Lei da Propriedade Industrial, nem todo advogado sabe das regras e procedimentos para o registro de marca na advocacia.

Se você é um desses profissionais e quer saber mais sobre como efetuar o registro da sua marca e como isso pode beneficiar seu escritório, não deixe de conferir!

Porque investir em uma marca na advocacia?

Independentemente do tamanho do seu escritório de advocacia, uma marca é um elemento importante. Afinal, ela representa a identidade do seu escritório e, quando bem trabalhada, ela reflete autoridade e uma boa reputação no mercado. Com uma marca bem posicionada, seu potencial cliente consegue reconhecer os valores e as características que ele procura em um profissional da área jurídica. Não por outro motivo, uma boa marca contribui para a prospecção dos clientes certos e beneficia o processo de contratação.

Em um mercado concorrido como é o da advocacia, inúmeros advogados vêm buscando alternativas para se diferenciar. Mais do que oferecer qualidade e excelência na prestação dos serviços jurídicos, é fundamental que o advogado saiba chamar a atenção, especialmente daqueles clientes que precisam dos seus serviços.

Uma marca é importante para qualquer empresa e na advocacia isso não é diferente. Mesmo com as restrições presentes no Código de Ética, é possível criar e desenvolver uma marca forte para a advocacia. Com o auxílio dos profissionais certos, isso não é nenhuma tarefa impossível.

Registro de marca na advocacia

Como todo advogado já sabe, apenas o registro confere o direito de exclusividade no uso de uma marca. Embora a OAB proíba o uso de nome fantasia para qualquer escritório, nada impede que surjam duas bancas com o mesmo nome. Esse caso emblemático que se passou no Rio Grande do Sul, mostra como é importante que o advogado registre a própria marca evitando que outros escritórios acabem fazendo o uso dela.

Leia também: Advogado empreendedor, entenda seu escritório como empresa

Além disso, uma marca registrada agrega valor ao capital social do escritório, já que com uma marca o escritório conta com um elemento a mais para atrair clientes e se transformar em uma referência no mercado.

Processo de registro de marca

O INPI (Instituto Nacional da Propriedade Industrial) é o órgão responsável por realizar o registro de marca. Para dar entrada no pedido, primeiro deve-se consultar se o nome da sua marca está disponível para registro. Também é fundamental escolher o tipo de registro de marca, uma vez que marca de produto, marca de serviço e marca coletiva contam com procedimentos diferentes.

O registro de marca pode ser feito tanto por pessoa física ou em nome da pessoa jurídica, desde que os documentos e formulários solicitados pelo INPI sejam corretamente apresentados.

Durante o processo, nada impede que o INPI solicite documentos ou informações adicionais. O processo de registro de qualquer marca não é gratuito. No entanto, os valores das taxas são proporcionais ao tamanho da empresa. Outra informação importante é que o processo também não costuma ser muito ágil. Existem casos em que a demora na concessão do registro chegou a 36 meses!

Para quem já registrou uma marca, o custo do processo não costuma ser um grande entrave. Afinal, na maioria das vezes, ele não ultrapassa R$ 1.000,00. No entanto, como o processo é lento e exige acompanhamento. Esse costuma ser o maior desafio, especialmente para profissionais que tem uma agenda atribulada como os advogados.

Contratar uma empresa especializada em registro de marca pode ser uma alternativa. Hoje existem algumas empresas no mercado que só cuidam de fazer o registro. Até mesmo alguns escritórios de advocacia oferecem esse tipo de serviço.

Mesmo com os entraves burocráticos, que já são familiares aos advogados, é importante investir em um registro de marca. Diante da alta concorrência do mercado, os advogados precisam de uma nova mentalidade e novas possibilidades para se destacar.

Gostou dessas dicas? Não deixe de conferir também quais são as principais inovações no mercado jurídico. Clique aqui e saiba mais!