Software Jurídico: 4 dicas rápidas para você escolher o melhor!

Software Jurídico: 4 dicas rápidas para você escolher o melhor!

Sim, caso você ainda não tenha percebido, a tecnologia e o Direito estão caminhando juntos – e rápido – na direção de uma nova advocacia.

Atualmente, os advogados têm à sua disposição uma infinidade de softwares jurídicos, todos com as mais variadas funcionalidades. Mas, como saber que software atende melhor aos anseios da sua rotina jurídica?

Bom, se você está pensando em adquirir um bom software, confira as dicas desse artigo para adotar uma ferramenta que corresponda às suas expectativas.

1. Priorize softwares mais intuitivos, amigáveis e de fácil navegabilidade.

O layout diz muito sobre um software. Quando o sistema se apresenta de forma simples e direta, sem exigir um conhecimento técnico apurado do usuário, a jornada de aprendizado é sempre mais rápida e agradável.

Escolha um software que se adapte rapidamente a sua rotina, priorizando a usabilidade e um layout amistoso. Não adianta adotar um software se ele não vai facilitar o seu dia a dia.

Assim, antes de partir para a fase de testes, priorize os sistemas que te permitam acesso a todas as informações em um único lugar, sem aqueles milhões de atalhos e botões de função. Afinal, você precisa acessar todos os seus dados rapidamente.

Não é difícil perceber quando um software é ultrapassado ou superdifícil de ser utilizado. Uma dica infalível é observar se você consegue acessar as informações com poucos cliques e se o layout é clean, moderno e intuitivo.

Ah, um bom suporte para as dúvidas sobre a utilização do sistema também ajuda muito. Afinal, você não precisa aprender tudo sozinho.

2. Fique atento as funções e diferencias de mercado do software.

A maioria das plataformas disponíveis no mercado jurídico oferecem mais do mesmo, disponibilizando funções básicas e padronizadas que qualquer software de gestão oferece.

Um bom software deve ir além do trivial para atender a rotina básica de um escritório ou advogado individual. Afinal, ambos os profissionais geram documentos, abrem prazos e mantém agendas e tabelas para controlar tarefas, compromissos e a contabilidade.

Dito isto, na hora de escolher o software, não renuncie a funções como: cadastro ilimitado de usuários, controladoria inteligente, módulo financeiro automatizado e integrado, CRM, agenda e tarefas, robôs de leitura e distribuição de Intimações, arquivos em nuvem, controle da recepção do escritório e dos prazos, distribuição e gestão de tarefas, filtros e relatórios detalhados.

E, lembre-se: softwares ultrapassados são uma fonte de dor de cabeça e mais atrapalham do que ajudam.

3. O software precisa oferecer um bom período de testes para você se adaptar.

Na hora de comprar um software, muitos advogados acabam tomando a decisão com base nos valores oferecidos ou apenas pelo visual do sistema. Mas, e se o tempo de testes gratuitos oferecido pela empresa não for o suficiente para você e sua equipe entenderem o software?

Certifique-se então que a versão completa do software a ser testado será liberada e, caso for, por quantos dias você terá acesso ao sistema. Utilize todo o período de teste oferecido pela plataforma com muito critério, envolvendo a equipe do seu escritório no treinamento, pois o bom funcionamento do software vai depender da dedicação integral do usuário.

Só assim será possível realizar uma avaliação assertiva do produto e de tudo que ele dispõe para te ajudar na gestão das suas rotinas jurídicas. Dessa forma, você reduz bastante as chances de se arrepender da contratação.

Bom, depois de testar o software, consulte colegas de profissão e a equipe do escritório antes de tomar uma decisão definitiva. Você pode seguir alguns caminhos:

1. Contratar; 2. Testar o modelo gratuito por mais tempo; 3. Experimentar outras plataformas.

4. Centralização! O software deve ser 100% online e oferecer um bom APP.

Vamos combinar! Se você está buscando organização e automatização de processos e rotinas, precisa contar com um software 100% online, ou seja, que não exija download e nem instalação em uma máquina específica.

Se hoje contamos com aplicativos para chamar um táxi, pedir comida ou medicamentos em poucos cliques, por que você não pode levar o seu escritório no bolso não é mesmo? Dito isso, escolha um software que ofereça um bom aplicativo.

Os recursos do APP devem te garantir mobilidade para você atuar em qualquer lugar. Assim, certifique-se que o aplicativo viabilize: a gestão dos seus processos; a vinculação de publicações a prazos, clientes e processos; consultas e cadastros; gerenciador de prazos e compromissos na agenda e conteúdo sincronizado.

Assim, com apenas um login e senha, você poderá acessar os seus processos e informações em qualquer lugar do planeta, e em tempo real.

É isso. Os softwares jurídicos são ferramentas estratégicas e acompanham a evolução diária do Direito e de milhares de advogados. Toda essa tecnologia gera produtividade, tanto individual quanto em equipe.

Agora que você já leu as nossas dicas, pense bem sobre o assunto antes de investir em tecnologia para o seu escritório de advocacia. E, se você nos permite uma sugestão, que tal experimentar o Integra, ferramenta desenvolvida pelo PROMAD para aprimorar a organização de rotinas jurídicas?

Atualmente, mais de 80 mil advogados em todo o Brasil utilizam o software. Pensado para cuidar da gestão de escritórios jurídicos, o Integra te ajuda, por exemplo, com a agenda, o fluxo de caixa, captura de intimações de sistemas eletrônicos entre outras funcionalidades.

Gostou? Acesse www.promad.adv.br e conheça melhor o Integra, o software jurídico do advogado brasileiro.

Deixe uma resposta