4 dicas de ouro para controlar de vez as despesas do seu escritório de advocacia

A saúde financeira do seu escritório de advocacia depende de um bom controle de receitas e despesas. Para garantir o futuro e a sustentabilidade do seu escritório, é essencial se planejar de forma estruturada. Além de adotar boas práticas, é preciso organização para garantir bons resultados.

Uma gestão financeira eficiente oferece ao advogado um panorama real sobre o seu escritório. Isso porque é essencial que ele invista com segurança e não se comprometa com a falta de recursos. Para quem busca por um futuro promissor para o seu negócio, vale a pena adotar algumas medidas. Mas então, como andam as despesas do seu escritório de advocacia? Confira nossas 4 dicas de ouro para controlar de vez estas custas! Faça uma boa leitura.

 

1: Separe as despesas pessoais das despesas do escritório

É muito comum que advogados, especialmente aqueles que atuam em escritórios de pequeno e médio porte, acabem misturando as contas pessoais com as da banca. Essa prática, embora seja corriqueira e aparentemente inofensiva, pode impactar negativamente o orçamento do seu escritório e até gerar dívidas. Por isso, o primeiro passo é separar as despesas pessoais das do escritório e manter um controle rígido sobre isso! É fundamental também que essa prática seja disseminada entre os sócios e todos se controlem mutuamente para evitar as famosas escorregadas.

 

2: Identifique as receitas e despesas

Para que você tenha um panorama financeiro do seu escritório, é fundamental subtrair das suas receitas todas as despesas, custos e impostos. Essa conta é o que determina o limite entre o que é lucro e o que é prejuízo para o advogado. Por isso, um dos primeiros passos é identificar todas as receitas e despesas do seu escritório. Isso inclui documentar tanto os custos fixos quanto variáveis, para saber como a sua banca está de fato operando.

O uso de um software jurídico pode ser uma boa medida para o controle de receitas e despesas. Com essa ferramenta, o advogado elimina o uso de complexas planilhas e automatiza o controle de forma simples. Com um software também fica mais fácil fazer previsões financeiras e investir com maior assertividade.

 

3: Preserve o seu capital de giro

O capital de giro é o montante de recursos necessários para que um escritório de advocacia funcione, mesmo que não haja recebimentos suficientes. Por isso, é fundamental que o advogado reserve e proteja este capital, garantindo maior poder de negociação e melhores condições de pagamento aos clientes. Trata-se de todos os bens do escritório que podem ser convertidos em capital a curto prazo, desde o dinheiro em caixa até saldos em bancos, aplicações financeiras, entre outros. O capital de giro varia de acordo com o porte do escritório, mas todo e qualquer negócio deve manter no radar a saúde do seu montante.

 

4: organize-se para investir no seu escritório

Você já deve ter percebido como a advocacia vem se transformando nos últimos tempos. Se há pouco tempo os advogados realizavam demandas utilizando fichas de papel, hoje trabalham com os processos digitais. Por isso, cada vez mais o advogado precisa investir em modernização para dar conta das demandas do seu dia a dia. Para não comprometer o capital de giro do escritório e também o orçamento, é fundamental ter organização e reconhecer o retorno do investimento.

Com o devido planejamento, o advogado pode se programar para fazer investimentos a curto, médio e longo prazo, sem que isso comprometa o financeiro. Aqui, o uso de um software jurídico também pode ser uma ferramenta bastante eficaz para ajudar o advogado a se organizar melhor.

Em resumo, assumir o controle das suas despesas e receitas é essencial para o futuro do seu escritório. Com um controle eficiente, o advogado consegue definir prioridades e direcionar as ações em busca de melhores resultados.


Gostou das nossas dicas? O PROMAD conta com funcionalidades específicas para o financeiro dos escritórios de advocacia. Confira essas e outras ferramentas aqui.