Empreendedorismo jurídico

empreendedorismo jurídico

Para muitos advogados um futuro promissor está diretamente ligado à estabilidade. No entanto, existem profissionais que preferem deixar de lado caminhos mais seguros para apostar no empreendedorismo jurídico. Com as mudanças no mercado, mais do que abrir o próprio escritório, o advogado pode investir em inovação e tecnologia, criando soluções para clientes e para a advocacia.

Para quem pensa em construir o próprio caminho, em busca de uma carreira sólida e com um excelente retorno financeiro, separamos algumas razões para você empreender na advocacia. Confira!

Por que empreender na advocacia?

Existem diversas razões para o advogado optar por um caminho mais autônomo e ao mesmo tempo mais incerto. Para quem pensa em arregaçar as mangas e investir no empreendedorismo jurídico, vale a pena refletir e considerar alguns prós e contras.

Autonomia

Uma das grandes motivações de advogados que optam pelo empreendedorismo jurídico é a autonomia. Quem é dono do próprio negócio tem mais flexibilidade com seus horários, mais liberdade para escolher os próprios clientes e pode organizar sua rotina como achar mais prático. Trabalhando de forma autônoma, o advogado consegue atuar mais alinhado com seus valores e crenças, o que traz mais satisfação tanto profissional quanto pessoal.

Retorno financeiro

Sem dúvida, o caminho do empreendedorismo jurídico é bem mais arriscado. Mas assim como o risco é maior, o retorno pode ser bem superior também. Quem opta por empreender na advocacia pode precificar seus honorários de acordo com os seus interesses. Além disso, para quem atua no contencioso, por exemplo, além de receber os honorários do contrato, recebe também os honorários de sucumbência.

Quem investe no empreendedorismo jurídico, portanto, possui mais possibilidades de retorno financeiro quando comparadas as oportunidades tradicionais de uma carreira como advogado.

Satisfação profissional e pessoal

A advocacia é uma profissão em que a confiança e o relacionamento com o cliente possuem um grande valor. Porém, trabalhando de forma tradicional em um escritório, nem sempre o advogado tem a liberdade para construir as relações com a clientela da forma como gostaria. Além disso, nem sempre o contato com o cliente é direto, o que acaba desmotivando muitos profissionais.

Quem investe no empreendedorismo jurídico tem maior acesso à clientela e sente diretamente o impacto de um bom trabalho. Isso, além de trazer mais satisfação pessoal, faz com que o profissional se sinta mais motivado com os desafios do dia a dia.

[Quer criar um negócio sustentável na advocacia? Confira essas boas práticas!]

Aprimoramento

Para quem opta pelo empreendedorismo jurídico, os desafios são diversos e demandam aprendizado constante. Mais do que conhecer as questões técnicas do Direito, o advogado empreendedor precisa entender um pouco de marketing, administração, liderança, contabilidade e até sobre como construir relacionamentos mais positivos e saudáveis. Por isso, se você acredita que esse é o seu caminho, esteja aberto a estudar, ler, buscar e pesquisar constantemente. Além de claro, pedir ajuda sempre que necessário.

Inovação

Foi-se o tempo em que empreendedorismo jurídico era sinônimo de abrir o próprio escritório. Nos últimos anos, o mercado da advocacia se transformou de forma significativa, fazendo com que novas demandas surgissem. Com a chegada da tecnologia, o advogado também começou se deparar com uma série de inovações no modus operandi, exigindo atualização e novos aprendizados. Por conta desse cenário, as lawtechs e legaltechs começaram a surgir trazendo soluções tanto para clientes quanto para os próprios advogados.

Para muitos profissionais elas se transformaram em um novo caminho para o empreendedorismo jurídico e cada dia mais, novos profissionais estão dispostos a abrir mão dos caminhos tradicionais para atuar em prol da inovação do mercado.  

Como investir em empreendedorismo jurídico?

Empreender não é sinônimo de receitas prontas. Pelo contrário. É preciso estar disposto a pesquisar e entender o mercado, antes de tomar qualquer ação. Muitos advogados têm dificuldades de empreender, porque não conseguem enxergar oportunidades fora da dinâmica tradicional, que é uma marca na advocacia.

Porém, para quem está disposto a pensar “fora da caixa”, o caminho pode ser bastante próspero e gratificante.

Se você está disposto a empreender na advocacia, saiba que tem vários desafios e riscos pela frente. Porém, como contrapartida, você pode ter muito mais liberdade e um retorno financeiro que você sempre sonhou!

Você pensar em investir no empreendedorismo jurídico? Descubra também se o seu escritório está acompanhando inovações jurídicas. Clique aqui e saiba mais!