Jovem advogado: aprenda a montar um escritório com pouca verba.

Jovem advogado: aprenda a montar um escritório com pouca verba.

Em busca de mais autonomia e liberdade na carreira, muitos advogados decidem montar um escritório.

Entretanto, quem opta pelo caminho do empreendedorismo, deve estar preparado e disposto a encarar alguns desafios. Isso porque, junto com a abertura do negócio próprio, chegam os riscos, as exigências e os imprevistos do mercado.

O primeiro passo para quem quer montar um escritório já se revela um enorme desafio: ter o capital inicial em mãos! A boa notícia é: existem diversas alternativas para você otimizar os custos e abrir a própria banca sem precisar de muito investimento.

Portanto, se você está iniciando na advocacia, ou pensando em dar novos rumos para a sua carreira, confira as dicas desse artigo.

Planejar é preciso!

O segredo para os empreendedores que pretendem montar um negócio sem fazer dívidas é o planejamento.

Na advocacia, isso não é diferente! Por isso, quem deseja montar um escritório deve conhecer bem os custos e as despesas do seu negócio a fim de buscar alternativas mais baratas para iniciar o projeto.

O primeiro passo é listar os equipamentos e a infraestrutura necessária para montar um escritório. Aqui é preciso considerar desde mesas, cadeiras, armários, computadores, leitora para certificado digital e material de escritório, entre outros.

Importante: faça uma lista completa com tudo o que é necessário, para só então avaliar os valores e buscar as opções mais baratas no mercado.

Em seguida, o advogado deve fazer uma lista das suas futuras despesas mensais com o escritório. Aluguel do espaço, luz, internet, contratação de secretária, água, limpeza, segurança etc. Seja bem criterioso nesse ponto.

Feitas estas listas, o advogado também deve considerar o capital de giro, recurso essencial para os períodos da “entre safra”. Para quem não sabe, o capital de giro é o montante de recursos necessários para que o seu escritório funcione, mesmo quando você não tem clientes suficientes para cobrir as despesas.

Muitos escritórios acabam quebrando justamente porque o advogado não se planeja e não calcula o capital de giro, ponto essencial no seu plano de negócio.

Alternativas para montar um escritório com pouco recurso.

Depois de montar uma lista com todos os gastos que compõem o orçamento básico, mais todo o investimento com infraestrutura e, ainda, calcular o capital de giro, chegou a hora de buscar alternativas para otimizar os custos.

Existem diversas possibilidades para quem quer montar um escritório gastando pouco. Confira!

Espaço.

O gasto com o aluguel costuma ser uma das despesas mais altas do orçamento. Dependendo da localização do escritório, o valor do aluguel pode ser altíssimo. Por isso, vale a pena pesquisar alternativas.

Apostar em um coworking, por exemplo, pode ser uma boa opção. Hoje já existem alguns espaços de coworking que são focados em negócios mais tradicionais, como advocacia. Esses espaços podem ser uma forma de começar sem gastar muito, além de fortalecer o seu networking.

Uma alternativa para otimizar os gastos com o aluguel de um espaço é compartilhar o escritório com outro colega. Aqui uma boa dica é buscar profissionais que atuem em áreas complementares do Direito.
Assim, além de economizar no aluguel, vocês também podem indicar clientes, fazendo com que a cartela de vocês cresça mais e mais.

Mobiliário.

Quando se trata do mobiliário, não é preciso investir em peças e objetos extremamente caros. Além de buscar em lojas de segunda mão, o advogado pode buscar em sites de vendas e bazares. Quando se trata da compra de móveis, o que não faltam são alternativas, especialmente se o objetivo é gastar pouco. É preciso investir tempo na pesquisa, porém, os achados costumam compensar.

Tecnologia.

Outra forma de otimizar os gastos é investindo em tecnologia. Com um software jurídico, por exemplo, o advogado consegue organizar todas as suas rotinas e gasta menos tempo com atividades de suporte. No início, investindo nesse tipo de ferramenta, uma secretária e um estagiário, por exemplo, podem se tornar menos necessários.

Financiamento.

Nem sempre um financiamento é a melhor alternativa para quem quer começar um negócio. Afinal, as taxas de juros podem representar um alto risco.

No entanto, hoje existem linhas de crédito especiais para advogados e profissionais autônomos que contam com juros reduzidos. Essa também é uma alternativa para quem quer começar mesmo sem ter muito dinheiro para investir. Vale a pena pesquisar.

Empreender na advocacia pode valer muito a pena, especialmente quando o advogado se planeja financeiramente para não precisar de um capital inicial muito alto. Por isso, ter uma estrutura enxuta e funcional é uma tendência entre os profissionais da área. Principalmente entre aqueles que sabem da importância de contar com um bom plano de negócio.

Agora que você já sabe o que precisa para montar o seu escritório de advocacia, a primeira ação a ser tomada é contar com um bom software jurídico para te ajudar. O Integra, ferramenta desenvolvida pelo PROMAD em 2008, é líder no segmento e foi pensado para aprimorar a organização das rotinas jurídicas.

Atualmente, mais de 80 mil advogados em todo o Brasil utilizam o software. Pensado para cuidar da gestão de escritórios jurídicos, o Integra te ajuda, por exemplo, com a agenda, o fluxo de caixa, captura de intimações de sistemas eletrônicos entre outras funcionalidades.

Acesse www.promad.adv.br e conheça melhor o Integra, o software jurídico do advogado brasileiro.

Deixe uma resposta